NÃO TEM GRAÇA!!!

 

Um gato comendo… Um pepino na espreita… E uma cena que faz donos desnaturados e malvados gargalharem!

Alguns felinos voaram metros ao se depararem com o pepino. E só depois que os donos riram muito, disseram: “Que maldade”.

Continuar lendo

Anúncios

Sobre o Renascimento

Renascimento, renascença, são os termos usados para identificar o período da História da Europa aproximadamente entre fins do século XIV e o fim do século XVII.

Claro, por nenhuma surpresa, alguns estudiosos não chegaram a um consenso sobre essa cronologia, havendo variações consideráveis nas datas conforme o autor.

Seja como for, tal movimento, que perdurou do século XIII ao XVII, surgiu com a crise do feudalismo, que desencadeou um novo modo de viver, principalmente na Europa. Seu início se deu na Itália, onde se desenvolveram grandes mudanças na arte, na filosofia, na literatura, na religião e na política, que posteriormente se estenderam para Alemanha, Inglaterra, Países Baixos, Portugal e Espanha.

O Renascimento ganhou o termo”Renascimento” em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica, que nortearam as mudanças deste período em direção a um ideal humanista e naturalista.

Criação do homem, obra de Michelangelo no Renascimento.

O homem vitruviano de Leonardo da Vinci sintetiza o ideário renascentista: humanista e clássico.

Um dos principais aspectos do período é o Humanismo, pensamento em que o homem começa a ser valorizado, e que gera o antropocentrismo, ou seja, o homem no centro de tudo, ao contrário do que existia anteriormente, na Idade Média, o teocentrismo, com a Igreja no centro. Essa ideologia surgiu principalmente com as conquistas das Grandes Navegações, que tornavam os homens confiantes em busca de novas descobertas e minimizava o poder da Igreja. Entretanto, sua influência ainda era grandiosa.

O termo foi registrado pela primeira vez por Giorgio Vasari já no século XVI, mas a noção de Renascimento como hoje o entendemos surgiu a partir da publicação do livro de Jacob Burckhardt A Cultura do Renascimento na Itália (1867), onde ele definia o período como uma época de “descoberta do mundo e do homem”.

 

O Renascimento cultural manifestou-se primeiro na região italiana da Toscana, tendo como principais centros as cidades de Florença e Siena, de onde se difundiu para o resto da península Itálica e depois para praticamente todos os países da Europa Ocidental, impulsionado pelo desenvolvimento da imprensa por Johannes Gutenberg. A Itália permaneceu sempre como o local onde o movimento apresentou maior expressão, porém manifestações renascentistas de grande importância também ocorreram na Inglaterra, Alemanha, Países Baixos, Portugal e Espanha. Alguns críticos, porém, consideram, por várias razões, que o termo “Renascimento” deve ficar circunscrito à cultura italiana desse período, e que a difusão europeia dos ideais clássicos italianos pertence com mais propriedade à esfera do maneirismo. Além disso, estudos realizados nas últimas décadas têm revisado uma quantidade de opiniões historicamente consagradas a respeito deste período, considerando-as insubstanciais ou estereotipadas, e vendo o Renascimento como uma fase muito mais complexa, contraditória e imprevisível do que se supôs ao longo de gerações.

Livro Auto da barca do Inferno

Na literatura e teatro humanistas, surgiram os autos e as farsas, peças que faziam grandes críticas com ironia a determinados personagens da sociedade, em que o nome de maior destaque é Gil Vicente, que escreveu “O Auto da Barca do Inferno” e “A Farsa de Inês Pereira”, entre outros.

Nas outras artes, há uma grande valorização da Antiguidade Clássica, base para os estudos e criações dos artistas da época. Na pintura, a maior transformação foi o uso da perspectiva, que permitia aos artistas a criação de obras com profundidade e volume, ou seja, podendo mostrar o objeto ou espaço com as formas e proporções exatas.

Livro: A Farsa de Inês Pereira

Se destacaramm Leonardo da Vinci, Giotto, Botticelli, Rafael, Michelangelo, Donatello, entre outros.

Na escultura, também hpuve grande valorização da proporção, expressão e ideais de beleza helenísticos, o que foi claramente visto nas obras de Michelangelo, como por exemplo em “Davi”.

Na arquitetura, a razão e a proporção geométricas foram a base de todas as construções e a perspectiva foi responsável pela composição exata. As igrejas se transformaram totalmente em relação às góticas e românicas anteriores, e uma das principais obras do período foi a cúpula de Santa Maria del Fiore, feita por Filippo Brunelleschi.

Renascimento: Quando a arte morreu?

O uso do termo Renascimento é muito controverso. Sem dúvida, a genialidade de Leonardo, Rafael e Michelangelo é impressionante, mas antes deles a arte e a ciência não estavam mortas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A expressão desses gênios marca, na realidade, o apogeu de um processo de transformações culturais, sociais e econômicas que se iniciou séculos antes, ainda na Idade Média, quando mercadores, artistas e pensadores já apontavam suas lunetas e pincéis em direção ao mundo moderno.

E para compreender melhor a sociedade do Renascimento e o que está se estruturando sob novas bases econômicas é bom você assista um filme que tem como um dos temas o próprio Renascimento.

 

Fontes:

Dicionário Informal

Wikipédia

Raíz Quadrada – Método Chinês

Image and video hosting by TinyPic

Imagem tirada da internet

 

Se você é como eu que já apanhou muito de continhas e começou a ter pesadelos com números que ama testar e testar e é péssimo em responder qualquer cálculo, aí vai uma dica para te ajudar na raiz quadrada. Um método Chinês.

Continuar lendo

Algarismo, alface, alcachofra… graças a Alá!

Primeiramente, um pouco de História! Afinal, os idiomas acompanharam o homem pelo passar dos séculos e mantiveram registrados, nas suas estruturas, muitos elementos relacionados à história dos povos, além de serem a ferramenta do registro histórico.

Fonte: Wikipédia/Layout de teclado árabe do Mac

Continuar lendo

O Empreendedor chamado Barão de Mauá (biografia)

Amanhecer na Praça Mauá

Imagine a cena:

Brasil, século XIX. Irineu Evangelista de Sousa, como em toda manhã estava ordenhando a vaca e de repente, o galopar de vários cavalos carregando no lombo de um quadrúpede uma má notícia, a morte de seu pai.

vflgyg

Cenas do filme

Continuar lendo

Super e super expectativas de ler este mangá das meninas “batatas” (falando sobre o nome CLAMP) :3

Shoujo-ON!

SakuraFranquia comemora 20 anos.

Ver o post original 233 mais palavras

POR QUE A ÁGUA DO MAR É SALGADA?

Ir à praia e tomar banho de mar é uma das melhores coisas dessa vida, não é mesmo? Mas a pior coisa é mergulhar, quando consegue se manter na água sem ser arremessado para longe ou ser arrastado pelas ondas, e vem aquele gosto forte de sal na boca. Tão forte que acaba ficando amargo!

Imagem tirada da internet

Imagem tirada da internet

Mas por que a água do mar é salgada? E de onde vem o sal do mar?

Nos primórdios da Terra, quando os mares ainda eram “jovenzinhos”, suas águas eram apenas levemente salgadas. Com o passar do tempo, como num piscar de olhos, ou seja, ao longo de 4,5 bilhões de anos, conforme a chuva foi caindo sobre o planeta e percorrendo sua superfície — provocando a erosão de rochas —, essa água toda acabou transportando um bocado de sais e minerais até o oceano, tornando-o progressivamente mais salgado.

O sal sai das rochas, é carregado pelos rios e se concentra nos oceanos.

Além disso, assim como ocorre a evaporação de rios e lagos, esse processo também ocorre com o mar, provocando um aumento em sua concentração de sais e minerais. Isso sem falar em vulcões e outras estruturas que existem no fundo do oceano e que contribuem liberando mais sais e minerais nas águas. Aliás, dentro de alguns

Apenas no mar Morto, lago de água salgada do Oriente Médio, a salinidade chega a 35% - e por esse motivo é mais fácil flutuar em suas águas.

Apenas no mar Morto, lago de água salgada do Oriente Médio, a salinidade chega a 35% – e por esse motivo é mais fácil flutuar em suas águas.

pequenos e rápidos bilhões de anos, com todos esses processos acontecendo, pode ter certeza de que a composição do oceano será bem diferente da atual! Imagine que o Mar Morto passará a ser mais salgado e possa mudar o nome para “Mar de Sal” (rsrsrsrs).

Água mole em pedra dura…

Para entender por que o mar é salgado, é preciso entender algumas curiosidades do ciclo da água. Vamos lá!

Água mole em pedra dura...

Imagem/USGS

  1. No nosso planeta, 84% do total da água evaporada em direção à atmosfera sai dos oceanos. No entanto, por causa da ação dos ventos, apenas 77% do total de água que retorna à superfície em forma de chuva cai sobre esses mesmos oceanos.
  2. Com os rios, a proporção é diferente: eles contribuem com 16% da água evaporada no planeta, mas recebem 23% das chuvas. Ou seja, os rios recebem mais água do que perdem, exatamente o contrário do que ocorre nos oceanos. Para manter o sistema em equilíbrio, os rios correm para o mar.

  3. Quando percorrem os continentes, as águas dos rios carregam íons —átomos ou conjunto de átomos “loucos” para se ligarem com outros íons — de cloro e de sódio. Esses íons se soltam das rochas nos leitos dos rios e se unem formando o cloreto de sódio, o sal de cozinha, que é levado junto com a água dos rios até o mar.

  4. Como o sal não evapora com a água, toda essa substância carregada pelos rios do planeta vai se acumulando nos mares. A repetição desse processo ao longo de centenas de milhões de anos de formação da Terra aumentou a concentração do cloreto de sódio nos oceanos, tornando-os salgados como são hoje em dia.

Me Salva! ECO25 - Ciclos biogeoquímicos: água

Fontes: Boston.com, Mega Curioso, Química No Cotidiano